SBAS: o que é e para que serve?

sistemas sbas pelo mundo
0 Flares Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×

Afinal de contas no posicionamento pelo GNSS o que é um sistema SBAS? Você já parou para pensar nisso?

Bom, neste artigo eu irei lhe mostrar exatamente o que são e para que servem estes sistemas.

 

Os que são os sistemas SBAS

Os sistemas de aumento baseado em satélite (SBAS) nada mais são do que sistemas utilizados para corrigir os sinais que os Sistemas Globais de Navegação por Satélite (GNSS) transmitem para o receptor GPS do usuário.

Tais sistemas melhoram o posicionamento horizontal e vertical do receptor e fornecem informações sobre a qualidade dos sinais.

Embora os sistemas SBAS tenham sido inicialmente desenvolvidos para dar maior precisão à navegação aérea, seu uso está se tornando cada vez mais difundido em outros tipos de atividades que exigem um uso sensível do sinal GPS.

Arquitetura dos sistemas de aumento baseado em satélite

arquitetura dos sistemas SBAS

A arquitetura básica de todos os sistemas SBAS é formada por:

  • Uma rede de estações terrestres de referência distribuídas por uma ampla área geográfica (países ou continentes inteiros);
  • uma instalação de processamento central;
  • Uma antena de transmissão de dados;
  • Um satélite geoestacionário.

Na prática, o que acontece é que a rede de estações terrestres de referência supervisiona as constelações de satélites GNSS.

Estas estações retransmitem os dados para a instalação de processamento central que avalia a validade dos sinais e estima os erros dos parâmetros, calculando as correções para as efemérides transmitidas e para os dados dos relógios de cada satélite em vista.

Posteriormente para cada satélite GPS ou GLONASS monitorado, o SBAS transmite essas correções para os usuários por meio de satélites geoestacionários.

Finalmente os receptores dos usuários ajustam as informações recebidas diretamente dos satélites GNSS com as correções recebidas dos satélites geoestacionários, conseguindo assim navegar com mais segurança.

Os SBAS utilizam medições de distância em duas frequências para calcular os atrasos provocados pela ionosfera transmitindo as devidas correções. 

Outro sim, além de relógio, efemérides e correções ionosféricas, o SBAS avalia e transmite parâmetros que limitam a incerteza nas correções. Combinando esses cálculos de incerteza nas correções com cálculos das incertezas em sua própria precisão de medições de pseudo-alcance, o receptor SBAS do usuário modela um erro para sua própria solução de navegação.

 

Sistemas SBAS ativos atualmente?

Se você achou interessantes as correções introduzidas pelos sistemas SBAS, agora vem a má notícia, infelizmente o Brasil e a América latina não possuem nenhum sistema SBAS. Isso porque tais sistemas necessitam de pelo menos um satélite Geoestacionário.

Na realidade, embora 1 seja o suficiente, uma vez que tal satélite serve somente para retransmitir as correções para o seguimento de usuários os sistemas SBAS por motivos de segurança, costumam ter no mínimo 2 satélites Geoestacionários.

 

Sistemas SBAS pelo mundo 

sistemas sbas pelo mundo

 

Existe uma série de sistemas SBAS sendo desenvolvidos ou já em funcionamento. Segue um resumo dos mesmos.

  • WAAS ( Wide Area Augmentation System ) Gerenciado pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos.
  • WAGE ( Wide Area GPS Enhancement ). Operado pelo departamento de defesa dos Estados Unidos, transmite mais precisão nas efemérides e nos dados de relógio dos satélites, porém é utilizado somente para uso militar.
  • EGNOS ( European Geostationary Navigation Overlay Service ). Administrado pela Agência Espacial Europeia.
  • MSAS ( Multi-Functional Satellite Augmentation System ) Operado pelos ministérios da Terra, Infra-estrutura e Aviação do Japão.
  • QZSS ( Quasi-Zenith Satellite System ). Proposto pelo Japão, com previsão de entrada em operação para este mês (novembro de 2018).
  • StarFire. Operado pela John Deere. A mesma é uma rede de cobertura global, utilizando uma grande quantidade de satélites e 25 estações em todo o mundo.
  • GAGAN ( GPS e GEO Augmented Navigation ). Sistema operado pela Índia.
  • SDCM (Sistema de Correção Diferencial e Monitoramento, SDCM). Ooperado pela Rússia com cobertura global
  • Sistema de Aumento da Navegação por Satélite (SNAS). Proposto pela China.

 

CONHEÇA MEUS TREINAMENTOS

Está gostando do artigo? Tire um minuto do seu tempo para conhecer os treinamentos que possuo. São treinamentos 100% práticos que ajudarão você a obter os conhecimentos que precisa rapidamente e sem sofrimento

Clique aqui e conheça

 

Sistema de Crescimento para o Caribe, América Central e do Sul

O SACCSA (Sistema de Crescimento para o Caribe, América Central e do Sul ) teve como objetivo analisar a viabilidade técnica, financeira e institucional da implementação de um sistema SBAS / GNSS nas regiões do Caribe e América do Sul. 

Porém, tal sistema acabou por ser descontinuado, sendo que na realidade não existe nenhuma rede SBAS na América do Sul.

.

Resumindo,  a grande vantagem dos sistemas SBAS é que os mesmos fornecem  uma série de correções, possibilitando o posicionamento relativo com acurácia normalmente na casa de 0,1 a 1 metro em tempo real.

Porém isso não é uma regra, a acurácia dos dados vária de sistema para sistema. 

A grande vantagem de tais sistemas é que tirando exceções como o StarFire da John Deere, tais sistemas são gratuitos. Naturalmente, isso não muda em nada a necessidade de, para a Topografia Cadastral, por exemplo, o profissional necessitar de um receptor adequado para a prestação destes serviços.

Mas agora você já sabe o que a sigla SBAS significa. Logo quando você ir comprar um receptor em cuja descrição estiver esta sigla, você saberá que o mesmo está habilitado para receber a correção de sistemas SBAS.

 

Que tal participar de uma semana de imersão no aprendizado de Georreferenciamento de Imóveis Rurais?

Eu não seu se você sabe, mas eu possuo um Minicurso Grátis de Georreferenciamento de Imóveis Rurais. É uma semana de imersão que costuma acontecer 2 ou 3 vezes por ano.

Durante esta semana eu passo centenas de conhecimentos, dicas e sacadas ajudando os profissionais da área. Normalmente mais de 3.000 profissionais participam do minicurso. Para cadastrar-se, fazer parte deste seleto grupo e participar da próxima edição do minicurso é só clicar neste link.

.

É isso por este artigo, se o mesmo foi útil para você compartilhe ele com seus amigos e deixe seu comentário na área de comentários existente aqui embaixo.  Eu tive que estudar bastante para obter estes conhecimentos e estou compartilhando os mesmos gratuitamente com você.

 

 

About The Author

Adenilson Giovanini

Especialista em Geotecnologias, Topografia Cadastral e Georreferenciamento de Imóveis Rurais.